Sejam bem-vindos

Sejam bem-vindos

Clique na imagem e assine a petição

Seguidores

Siga-nos no facebook e curta nossa página

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A Reforma educacional de Nova York


Possibilidades para o Brasil

É muito importante conhecermos projetos que deram e que estão dando certo na área da educação, mais importante do que é isso, é conhecermos como funciona a educação em outros países, como já postei sobre a Educação cubana, agora posto sobre a Educação de Nova york.


            A Fundação Itaú Social e o Instituto Fernand Braudel lançaram a publicação "A Reforma Educacional de Nova York: Possibilidades para o Brasil", resultado de uma pesquisa de campo sobre a reforma educacional que vem sendo implantada na cidade norte-americana desde 2002. Participaram do evento o subsecretário de Educação de Nova York, Chris Cerf, além de Roberto Civita, do Grupo Abril, e Norman Gall e Patrícia Mota Guedes, do Instituto Fernand Braudel.
Paulo Renato Souza, Secretário de Estado da Educação, contou que a experiência acumulada nas redes de ensino de Nova York está sendo uma referência para o desenvolvimento do projeto piloto em 10 escolas da rede estadual localizadas na zona leste do município de São Paulo, no escopo do Programa Excelência em Gestão Educacional, fruto da parceria da Fundação Itaú Social e do Instituto Fernand Braudel.
Segundo o vice-presidente da Fundação Itaú social, Antonio Matias, a iniciativa não pretende importar um modelo de reforma educacional, mas enriquecer e ampliar o debate sobre as medidas implantadas em Nova York como possibilidades para pensar na proposição de políticas públicas no Brasil. "A superação dos desafios educacionais é fundamental para garantir a continuidade e sustentabilidade do desenvolvimento em nosso país" afirma. "Voltar as atenções para experiências bem-sucedidas em outras regiões do mundo é uma maneira de acumular conhecimentos que contribuam para que o Brasil alcance suas próprias soluções" conclui.
A pesquisa que originou a publicação teve início em 2007, quando o Instituto Fernand Braudel esteve em Nova York. Com a parceria com a Fundação Itaú Social, os pesquisadores voltaram em 2009 àquela cidade e também a Chicago, Baltimore e Washington-DC, para aprofundar a pesquisa inicial nas redes públicas locais.
         A publicação reúne informações que mostram como, após décadas de resultados de aprendizado declinantes, baixas expectativas e apatia institucional, Nova York conseguiu implantar em sua rede ações que resultaram em aumentos significativos nas porcentagens de estudantes que dominam as competências e conteúdos adequados à sua série. Em 2009, 82% dos alunos de 3ª e 8ª séries atingiram os padrões estaduais adequados de desempenho em matemática, sendo que em 2006 esse índice era de apenas 57%. O déficit de desempenho entre estudantes negros e brancos também diminuiu de 31% em 2006 para 17% em 2009.
          A reforma educacional de Nova York implementou mudanças como maior autonomia escolar, avaliação e responsabilização por resultados, apoio presencial ao professor, participação da família, segurança escolar e desenvolvimento de lideranças. Chris Cerf, subsecretário de Educação de Nova York ressalta a fundamental importância da vontade política neste processo. Relata que o Prefeito Bloomberg, ao assumir o cargo, declarou que queria ser avaliado pela evolução do desempenho dos estudantes. Cerf explica que a reforma educacional gerou forte resistência, tanto ativa quanto passiva, e exigiu muita negociação e diálogo com todos os envolvidos - diretores, professores, pais, alunos, sindicatos. Ressaltou ainda a importância da comunicação em todo o processo. Para Chris Cerf, quem trabalha em educação tem que ser um "guerreiro", porque não é fácil. 

         A esse respeito, Roberto Civita afirma que toda a mídia tem que estar envolvida para a promoção da educação pública de qualidade. Lembrou que o Grupo Abril implementou no ano passado o Projeto ‘Educar para crescer' no qual todas as revistas participaram produzindo matérias relacionadas à Educação, cada uma com o foco específico para seu leitor. Agora, as revistas querem mobilizar os leitores para cada um fazer a sua parte, , entendendo-se como parte da solução de um problema que atinge a todos.


fonte:ttp://www.cenpec.org.br/modules/news/article.php?storyid=853


Clique na imagem abaixo e faça Download da reforma educacional de Nova York.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...