Sejam bem-vindos

Sejam bem-vindos

Clique na imagem e assine a petição

Seguidores

Siga-nos no facebook e curta nossa página

domingo, 17 de maio de 2009

o que fazer quando eles não dormem bem




Uma das preocupações que mais tiram o sono dos pais — com o perdão do trocadilho — são as noites maldormidas dos filhos. Quem nunca se deparou com um pequeno pijama amassado subindo na cama no meio da noite? E o pedido de um copo de água ou de leite bem na hora de dormir? Acalme-se, é normal. Segundo pesquisa inédita da Johnson&Johnson, repetida em 21 países com crianças de até 3 anos, 35% dos pais brasileiros acreditam que o filho tem algum problema para dormir.

Para especialistas do assunto, o conflito é gerado pelos próprios pais. “A criança segue a rotina do adulto. Ela luta contra o sono, ficando agressiva e irritada”, diz Alaides Olmos, neurologista especialista em sono do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba (PR). Portanto, se quiser noites tranqüilas, um dos primeiros passos é respeitar o relógio biológico da criança.

O que nem sempre é simples. “Crianças que dormem por volta das 20 h têm a qualidade do sono melhor e acordam menos vezes durante a noite”, afirma a coordenadora da pesquisa Jodi Mindell, diretora-associada do centro do sono no Hospital infantil da Filadélfia e da National Sleep Foundation (EUA). Em média, a garotada brasileira vai para a cama só às 21h41 — e o motivo para esse horário tardio tem uma explicação que parece absurda: boa parte das famílias espera a novela acabar para colocar os filhos na cama. Na Nova Zelândia, por exemplo, a média é 19h30.

Ele tem medo do escuro. O que fazer?

Luz acesa prejudica o sono, pois altera a produção do hormônio melatonina. Se seu filho estiver com medo, converse sobre os motivos da insegurança, explicando que não há razão para temer. Para acalmá-lo, deixe uma tomada de luz baixa, que ilumina o caminho caso ele acorde de madrugada.

Além de reduzir a qualidade do sono, dormir tarde pode aumentar o risco de obesidade. Estudo da Universidade de Harvard (EUA), com 915 crianças, descobriu que os pequenos que assistem a mais de duas horas de Tv por dia e dormem menos de doze horas têm até 16% a mais de probabilidade de ficar obesos. “Os pais precisam aprender a fazer a criança dormir cedo, pois o organismo dela é sincronizado de acordo com a luz do sol. Se ela perde essa referência, o bem-estar é afetado”, diz Alaides.

Como respeitar a regra quando chegamos tarde em casa depois de passar o dia longe do filho? “Durma o mais cedo possível e aproveite as manhãs. A interação noturna não é boa para ninguém, pois todos estão cansados.” E nem adianta dar a velha desculpa de que seu filho não sente sono. “Os pais acham isso, mas, na verdade, a criança está irritada por ter lutado contra ele tanto tempo.”

Outro erro comum é pensar que as sonecas diurnas prejudicam o sono da noite. “Em média, a criança cochila duas horas por dia”, diz Jodi. Normalmente, esse sono se divide em duas etapas: de manhã e depois do almoço. À medida que seu filho cresce, a necessidade de dormir enquanto o sol está no céu diminui. Para saber se ele está passando o tempo necessário na cama, a pesquisa mostra que recém-nascidos precisam de dez horas e meia a dezoito horas de sono; bebês de até um ano, uma média de catorze horas e, de até 3 anos, cerca de treze horas. Alaides discorda dos números. “Cada criança precisa de um tempo próprio. Se ele dorme pouco e acorda bem, não há problema. Mas se fica irritada durante o dia, é bom dormir mais.”

Quando fazer a transição do berço para a cama?

Para Jodi Mindell, a transição deve ser feita quando a criança completar 3 anos. “Antes disso, ela não tem maturidade para ficar na cama.” Normalmente, a mudança é tranqüila. Não se esqueça de usar uma grade de segurança, que impede tombos durante a noite.

50 minutos para o sono vir
Para fazer com que seu filho durma logo, inicie o ritual do sono quando o sol se põe. “A partir deste momento, não faça atividades que estimulem a criança, como brincar. O estímulo afeta o sono e luz prejudica a liberação da melatonina, hormônio que nos deixa sonolentos. Dê o banho e o jantar e a coloque na cama. Acalme seu bebê lendo uma história, cantando, conversando... aos poucos, se afaste”, diz alaides. Repita o ritual todos os dias, no mesmo horário. “A criança leva cerca de 50 minutos para dormir. O segredo do sono infantil é ter uma rotina e deixar seu filho dormir sozinho”, diz Jodi.

Lembre-se de que ele desperta de 2 a 6 vezes durante a noite, ficando acordado de 5 a 20 minutos, em média. Se estiver ao lado dele quando dormir, precisará estar também ao acordar. Colocar um objeto de transição na cama, como uma fralda, ajuda a criança a reconhecer o local de madrugada. Também não deixe a criança pegar no sono no sofá para depois carregá-la ao quarto. “Quando acordar, não vai entender onde está e irá chorar”, afirma a norte-americana. Seu filho precisa ter um canto próprio para dormir. “Até os três meses, não há problema em deixar o berço no quarto dos pais. Depois, ensine- o que cada um tem seu espaço”, diz Alaides.

Você precisará ser firme e resistir ao rostinho triste que aparece no meio da noite. “Se ele procurar sua cama, leve-o pela mão ao quarto.” É duro, tanto que 21% dos pais brasileiros não resistem e deixam a criança dormir com eles. Nos Estados Unidos, esse índice é de 14,3% e no Reino Unido, 4,6%. O mau hábito por aqui tem seus efeitos: atrapalha o sono da família, não incentiva a independência da criança e ainda prejudica a intimidade do casal.

Tudo bem ele dormir vendo TV?

Apesar de 12% das crianças dormirem com o aparelho ligado, o hábito é ruim. Além de o som e a luz prejudicarem a qualidade do sono, seu filho precisa aprender a pegar no sono sozinho. “O estímulo da TV atrapalha e não aconselho ninguém a tê-la no quarto”, diz Alaides Olmos.

Fonte: revista crescer

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...